Público escolhe as bandas que irão se apresentar no Dia da Música

Instituto GVT apoia evento que irá promover cerca de 100 shows em São Paulo e no Rio de Janeiro, além de dezenas de apresentações musicais pelo Brasil em circuito off

No Dia da Música, evento apoiado pelo Instituto GVT e patrocinado pela GVT que acontece pela primeira vez no país, a decisão do público é soberana. As 16 bandas que irão se apresentar no dia 21 de junho em São Paulo e no Rio de Janeiro foram definidas através de votação popular e o aval de uma equipe de curadores. Os estilos musicais são bastante variados e devem agradar todos os gostos. Além disso, os demais selecionados irão mostrar seu trabalho no dia 20 de junho em locais como bares e espaços culturais espalhados pelo país.

O Dia da Música é a versão brasileira da consagrada Fête de la Musique francesa, festival que já é realizado em mais 700 cidades e em 100 países. Serão mais de 100 shows em São Paulo e no Rio de Janeiro, além de dezenas de outras apresentações musicais em todo o Brasil através do circuito off (locais conveniados).Os artistas participantes também concorrem ainda a prêmios em dinheiro que chegam a R$ 20 mil. “O Brasil é um país totalmente musical e por isso estamos muito felizes em sermos parceiros desse evento que democratiza a música e incentiva novos talentos”, explica a presidente do Instituto GVT, Heloisa Genish.

Diferentemente da maioria dos eventos do gênero, a participação é aberta não só a profissionais, mas a qualquer um que saiba tocar instrumento ou que tenha uma banda, mesmo amadora.  Os artistas/bandas se inscreveram pelo site do evento e receberam o voto do público, jurados e casas conveniadas ao programa no mesmo endereço eletrônico. Na página www.diadamusica.com.br há informações sobre cada artista, inclusive o site oficial do músico, onde é possível ouvir as canções.

 

Os locais e horários dos shows que serão realizados no dia 21 de junho já estão definidos:

SÃO PAULO

Palco Dago Donato (Alternativa/ Eletrônica) – R. Leôncio de Carvalho, 50 – Paraíso

11h50 – The Soundscapes – paulistanos que participaram do Make Music New York 13h30 – Bumbo Caixa – projeto que alia cânones da música pop à música eletrônica

15h10 – Rico Dalasam – representante do movimento “queer rap” (termo que pode ser traduzido como “rap gay), natural de Taboão da Serra, em São Paulo

16h50 – CESRV 539 –  bass music do produtor paulistano Cesar Pierri (Deep Beep)

 

 

 

 

Palco Rodrigo Lariu (Alternativa/ Rock) – R. Manoel da Nóbrega, 50 – Paraíso

11h – Digital Ameríndio & (American Bigfoot) Mouse Mouse Joe – banda carioca formada por Sandro Rodrigues, Löis Lancaster, Pedro Bonifrate, Robson Riva e Gabriel Ares

12h40 – Tom Gangue – banda carioca de rock dançante e leve

14h20 – Suburbia – pop rock paulistano da Serra da Cantareira, composta por dois filhos de Almir Sater

16h – Marcelo Perdido – músicas sobre jovens adultos, perdidos, com sonoridade entre o folk e o tropicalismo (Clipes e Bandas)

Palco Pâmela Leme (Alternativa) – Praça Alexandre Gusmão, s/nº – Cerqueira César

11h – Musa Híbrida – trio de Pelotas que mistura poesia e canções, instrumentos orgânicos e eletrônicos

12h40 – Nobat – cantor e compositor de Belo Horizonte apresenta primeiro álbum pop

14h20 – Carne Doce – Salma e Macloys moram e compõem juntos em Goiânia

16h – E A Terra Nunca Me Pareceu Tão Distante – quarteto instrumental paulistano de música independente dos anos 90 e post rock dos anos 2000

 

Palco Mancha Leonel (Rock/ Alternativa) – Alameda das Flores – Al. Rio Claro, 300 – Bela Vista

11h50 – Camila Garófalo – cantora, compositora, guitarrista e roqueira paulista

13h30 – Quarto Negro – duo paulistano formado por Thiago Klein e Eduardo Praça

15h10 – Murilo Sá & Grande Elenco – multi-instrumentista soteropolitano radicado em São Paulo

16h50 – Simplício Neto & Os Nefelibatas – grupo do músico Simplício Neto que, segundo ele, toca pós-MPB, trans-rock e meta-folk

Palco Angela Novaes (Experimental) – Passagem Literária – Av. Paulista, 2500, cruzamento com R. da Consolação – Bela Vista

11h – Acavernus – projeto experimental paulistano que explora vídeo e poesia

13h30 – Vermes do Limbo – banda de punk rock formada por Guilherme Pacola e Vinicius Patrial

15h10 – Thiago Miazzo – músico experimental desde 2005, atua sozinho em diversos projetos

16h50h – Diversões Eletrônicas – trio de Goiânia com influências de no wave e música eletrônica

 

Palco Kamau (Rap/ Hip-Hop) – Praça Marechal Cordeiro de Farias, s/nº – Higienópolis

11h – MC Fraza – rapper do interior paulista, nascido e criado em Ribeirão Preto

12h40 – Mesclado – banda paulistana de hip hop que mistura rap e MPB

14h20 – Drik Barbosa & Mike – dupla de primos que compõem rap e hip hop

16h – Jota Ghetto – MC, beatmaker, percussionista, produtor e grafiteiro paulistano

Palco Teste (Heavy Metal) – Largo do Paissandú, s/nº – Centro

00h35 – Crushing Darkness – microfonia, riffs feios e negatividade saudável nessa banda de metal paulistana

11h45 – Sociopata – banda de metal natural de Bauru, São Paulo

12h35 – Western Day – projeto que faz grindcore dos anos 90 com influências modernas

13h25 – Infamous Glory – banda de death metal cru, apoiado nos expoentes do final dos anos 80

14h15 – Deaf Kids – banda de punk/experimental carioca residente em São Paulo

15h05 – Hellarise – banda paulistana de death e trash metal com Flávia Morniëtári, Mirella Max, Felippe Max, Kito Valim e Daniel Crivello

15h55 – Cätärro – banda de Mossoró, Rio Grande do Norte, de grindcore e power violence

16h45 – Terror Revolucionário – banda hardcore e punk de Brasília formada em 1999

17h35 – Test – duo de bateria e guitarra de death metal e grindcore, reponsável pela curadoria do palco Test (puxar pelo lado da Virada, que agora está no DdM)

18h45 – Desgraciado – banda paulista formada em 2007 com influências de punk, cruste trash metal

18h50 – Sistema Sangria – banda de metal com influências de punk hardcore dos anos 80, grindcore, crust e hardcore old e new schools

20h25 – Fim do Silêncio – formada no final dos anos 90 na Zona Norte, toca hardcore

21h15 – Hutt – gravando o quarto álbum de estúdio, formado por Appezzato, Liandro, André e D Klink

22h10 – Manger Cadavre? – da região do Vale do Paraíba, em São Paulo, a banda tem dois singles e um EP

22h55 – Bayside Kings – banda de hardcore de Santos, São Paulo, foi formada em 2011

23h45 – Entre Os Dentes – banda de Goiânia com influências punk (de Dead Kennedys e Bad Brains), metal e trashcore.

RIO DE JANEIRO

 

Palco Gustavo Benjão (Insrumental/ MPB) – Espaço Cultural Sérgio Porto – R. Humaitá, 163 – Humaitá

17h – Mahmed – banda instrumental de Natal com influências de rock, eletrônico e do mar.

18h – Lê Almeida – canções sobre jeans velhos, bikes e comprimidos saturados com altas doses de fuzz (selo próprio, O Escritório)

19h – TiãoDuá – trio de música brasileira formada pelos mineiros Gustavito Amaral, LG Lopes e Juninho Ibituruna

20h – Biltre – banda carioca cujo caldeirão sonoro inclui Clube da Esquina, Radiohead, com influências da música do Belém do Pará

Palco Kiko Horta (Instrumental) – Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas – R. Murtinho Nobre, 169 – Santa Teresa

14h – Água Viva – grupo carioca que mistura jazz, ritmos latinos e música instrumental

15h – Daniela Spielmann Quarteto – a artista carioca apresenta o projeto de jazz e MPB com os companheiros Domingos Teixeira, Rodrigo Villa e Marina Chuva

17h – Gabriel Versiani – músico do Rio de Janeiro com influências no samba, baião, xote e maracatu

18h – Bondesom – conjunto instrumental formado em 2002, apresenta trabalho em jazz e world music com ritmos brasileiros e latinos

Palco Luciana Rabello (Choro) – Centro Municipal de Referência da Música Carioca – R. Conde de Bonfim, 824 – Tijuca (Escola de Choro)

11h – Beliscando – grupo que anima as tardes do centro histórico do Rio tocando clássicos do choro e músicas autorais

14h – Rafael Mallmith & Quinteto Varadão – violinista e arranjador, Rafael e seu quinteto tem influências de Pixinguinha, Piazzolla e jazz cigano

19h – Luis Barcelos – bandolinista, arranjador e compositor gaúcho radicado no Rio de Janeiro

20h – Eduardo Neves & Rogério Caetano – duo de MPB. Eduardo é saxofonista e Rogério violonista (de um violão de sete cordas), e misturam samba e jazz

Palco MC Marechal (Rap/ Hip-Hop) – Sala Baden Powell – Av. Nossa Senhora de Copacabana – Copacabana

17h – Douglas Din – MC de Belo Horizonte com composições autorais e sessõesfreestyle

18h – Antiéticos – grupo carioca que está em desacordo com os atuais líderes mundiais, aqueles que destroem a ética estabelecida pelo mundo

19h – André Sampaio & Os Afromandinga – som dançante com groove hipnótico e performance de dança africana

20h – Afrojazz – grupo de jazz contemporâneo que celebra o legado musical do continente africano

Palco Márcio Bulk (MPB) – Arena Carioca Dicró – R. Flora Lôbo, 100 – Penha Circular

17h – Leandro Joaquim – trompetista com influências diversas em rock, jazz, funk,reggae e bossa nova

18h – Fábrica – projeto do carioca Emygdio que une MPB, folk e experimentalismo

19h – Rua – grupo pernambucano que se inspira em artistas como Steve Colemann, Björk e Nelson Cavaquinho, além de ter influências na dança

20h – Negro Leo – artista maranhense residente no Rio com influência da black music, além das músicas eletrônica e brasileira

Palco Lorena Calábria (Alternativa) – Arena Carioca Fernando Torres – R. Bernardino de Andrade, 200 – Madureira

17h – Daniel Caldeira – banda tropicalista do artista Daniel Caldeira ao lado de Daniel Barreto, Matheus Souza, Felipe Vellozo, Filipe Costa

18h – Vitreaux – banda paulistana que flerta com o folk e rock dos anos 60

19h – Alvinho Lancellotti – cantor e compositor nascido em berço de samba, com canções leves sobre o cotidiano, com simplicidade e lirismo

20h – Ava Rocha – cineasta, VJ, fotógrafa, figurinista, atriz, interdisciplinar e performática, Ava é uma das cantoras de destaque de sua geração

Palco Chico Dub (Eletrônica/ Experimental) – Museu de Arte Moderna – Av. Infante Dom Henrique, 85 – Glória

15h – Dedo – grupo carioca composto por Arthur Lacerda, Lucas Pires e Rafael Meliga

16h – Bemônio – projeto de drone, doom e black metal com referências no canto gregoriano

17h – Psilosamples – José Roberto faz performances ao vivo de música eletrônica, com remixes de músicas folclóricas regionais e melodias modernas de jazz e techno

18h – Omulu – sonoridades underground embebidas pela cultura pop, global bass e música da periferia brasileira

Palco Thiago Vedova (MPB) – Praça Luís de Camões, 1 – Glória

14h – Rubel – grupo carioca de MPB e folk, cujo primeiro disco foi eleito um dos melhores de 2014

15h – Yamã – banda multi-instrumentista carioca de MPB formado por Miguel Bittencourt, Dudu Godói, Leandro Floresta, Ramon Murcia e Cassius Theperson

16h – Dom Pepo – banda mineira que mistura samba, choro, MPB e rock psicodélico

17h – Mohandas – banda e coletivo que faz performances gratuitas com o evento Mohandas – On The Rocks

Palco Circo Voador (Alternativa) – R. Francisco Otaviano, 10 – Ipanema

14h – Marcelo Vig – carioca da gema e londrino por afinidade, o baterista já tocou com gente do calibre de Eminem, Will Smith e Avril Lavigne

15h – Primos Distantes – grupo paulista de pop rock formado por amigos (e não primos!), indicado como o Melhor Show Nacional de 2014 pelo Guia da Folha de S. Paulo

16h – Strobo – duo de Belém (PA) formado por Léo Chermont e Arthur Kunz que dá roupagem pop à música instrumental

17h – El Efecto – quinteto carioca formado em 2002 com sonoridade que mistura rock com instrumentos clássicos, como trompete, clarinete e flauta

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s